São Francisco do Sul - mais notícias

Intoxicação alimentar e viroses: saiba como se prevenir

Data de inclusão: 10/01/2019 16:39

A Vigilância Epidemiológica de São Francisco do Sul alerta para os casos de virose e intoxicação alimentar que tendem a crescer no período de verão. Os sintomas, em geral, são náuseas, fraqueza, dor abdominal e palidez.

 

De acordo com a enfermeira coordenadora da Vigilância Epidemiológica do município, Isonir Fernandes, o índice dessas doenças é maior no verão em função do aumento do consumo de bebidas e alimentos contaminados ou conservados de maneira inadequada, além do contato com água imprópria para banho. “É necessário tomar cuidados redobrados com a alimentação, principalmente em manter os alimentos sempre bem refrigerados e não consumir os de procedência duvidosa. No verão, há um aumento na circulação de vírus, bactérias e parasitos”, afirma.

 

Atenção aos sinais e sintomas

 

As viroses (rotavírus/norovírus) são altamente contagiosas, podendo sobreviver por até sete dias nas superfícies. São transmitidas diretamente, de pessoa para pessoa, ou indiretamente, por meio de alimentos ou água contaminados pelo manuseio. Acometem adultos e crianças, e os principais sintomas são náuseas, vômito, diarreia, febre, dores epigástrica e abdominal com duração, em geral, de um a cinco dias. “O maior risco é a desidratação decorrente de uma possível diarreia ou vômito. Por isso, é importante ingerir líquidos, especialmente água filtrada”, ressalta Isonir.

 

Na intoxicação alimentar, os sintomas são praticamente os mesmos da virose, com acréscimo de possíveis calafrios, dores de cabeça e inchaços na área do estômago. Em algumas ocorrências de virose e intoxicação, é necessária a reposição hídrica por meio de soro e, por isso, é muito importante procurar um médico.

 

Como evitar os fatores de risco

 

• Não consumir alimentos que estejam fora do prazo de validade, mesmo que sua aparência seja normal;

• Mesmo dentro do prazo de validade, não consumir alimentos que pareçam

deteriorados, com aroma, cor ou sabor alterados;

• Não consumir alimentos em conserva cujas embalagens estejam estufadas ou

amassadas;

• Lavar frequentemente as mãos com água e sabão, especialmente após utilizar o

sanitário e antes de se alimentar, preparar ou manipular alimentos;

• Quando levar alimentos para a praia, garanta que eles estão bem protegidos e com a conservação térmica adequada;

• Não tomar banho em praias impróprias ou em rios e córregos poluídos. Em época de chuva, o risco se agrava devido ao espalhamento de lixo e esgoto, aumentando as áreas com poluição;

• Embalar adequadamente os alimentos antes de colocá-los na geladeira;

• Lavar os utensílios de cozinha, especialmente depois de ter lidado com alimentos crus;

• Evite comer carne crua e mal passada, qualquer que seja sua procedência;

• Somente beber leite fervido ou pasteurizado;

• Higienizar frutas, legumes e verduras com solução de hipoclorito a 2,5% (diluir uma colher de sopa de água sanitária para um litro de água por 15 minutos, lavando em água corrente em seguida, para retirar resíduos;

• Lavar superfícies que tenham sido contaminadas com vômito e fezes de pessoas

doentes, usando água e sabão. E, logo após, desinfectar com água sanitária.

 

Texto: Sabrina Oliveira

Revisão: Amanda Branco

Imagens relacionadas

Intoxicação alimentar e viroses: saiba como se prevenir